Glórias do Passado: Sporting Clube Campomaiorense

 

Sporting Clube Campomaiorense




O Sporting Clube Campomaiorense foi o último grande representante da região alentejana no escalão máximo do futebol português. Depois do Lusitano de Évora na década de 60 e o CAD Elvas durante a década de 80, o SC Campomaiorense militou na 1ª Divisão Nacional do futebol português já no decurso da década de 90.

Fundado em 1 de Julho de 1926, radicado na vila alentejana de Campo Maior, o SC Campomaiorense filiou-se na Associação de Futebol de Portalegre logo nesse mesmo ano de 1926. Assume as cores e os símbolos do Sporting CP, tornando-se então a 27ª filial do clube lisboeta.
.
(Equipa do SC Campomaiorense na decada de 20)
.
(Jovem equipa do SC Campomaiorense na decada de 20)
.
(Equipa do SC Campomaiorense na decada de 30)
. (Equipa do SC Campomaiorense em 1935)
.
Participando, inicialmente, em competições distritais ou de carácter recreativo ou popular, o SC Campomaiorense estreia-se em provas nacionais na época de 1945/46 disputando a 2ª Divisão Nacional.

Após, entre algumas passagens pelas divisões distritais, a historia do SC Campomaiorense faz-se entre o terceiro e segundo escalão do futebol português. Destacando-se, desde logo, a temporada de 1960/61 quando o SC Campomaiorense venceu a Serie D da 3ª Divisão Nacional.
.
(Equipa de Juniores do SC Campomaiorense na época de 1950/51)
.
A partir dos inícios da década de 70 o SC Campomaiorense fixou-se, definitivamente, na 3ª Divisão Nacional e nesse escalão permaneceu, quase ininterruptamente, até aos finais da década de 80, quando, impulsionado pela família Nabeiro, dos cafés Delta, o clube subiu até ao topo do futebol português num acumular de êxitos sucessivos.
.
(Plantel do SC Campomaiorense na temporada de 1976/77)
.

(Plantel do SC Campomaiorense na época de 1978/79)
.

(Equipa do SC Campomaiorense na temporada de 1980/81)
.
Assim, com a criação da 2ª Divisão de Honra, o SC Campomaiorense consegue no final da época de 1989/90, fruto de um 4º lugar na Serie E da 3ª Divisão Nacional, subir à 2ª Divisão “B”.

Logo em 1990/91, surpreendentemente, surge na luta pela subida à 2ª Divisão de Honra. Nesta temporada classifica-se no 2º lugar da Zona Sul, somente a um ponto do SC Olhanense, formação algarvia que acaba por ascender ao segundo escalão do futebol português.

Na época de 1991/92 a turma do SC Campomaiorense é englobada na Zona Centro da 2ª Divisão Nacional “B” e vence, categoricamente, a prova, garantindo, desde logo, um lugar na 2ª Divisão de Honra na temporada de 1992/93.
.
(Equipa do SC Campomaiorense na época de 1991/92)
.
Na fase final do Campeonato Nacional da 2ª Divisão “B”, defrontando o CD Nacional e o FC Felgueiras, respectivamente, vencedores da Zona Norte e Zona Sul, o SC Campomaiorense conquistou o titulo de campeão nacional, o primeiro grande troféu da historia do clube alentejano.

No decurso da época de 1992/93 verifica-se o primeiro jogo oficial entre o Vitoria SC e SC Campomaiorense a contar para as principais competições nacionais. Por sortilégios próprios da competição coube a equipa alentejana defrontar o Vitoria SC para a 5ª eliminatória da Taça de Portugal.
.
(Plantel do SC Campomaiorense na época de 1992/93)
.
Rumando ao Estádio D. Afonso Henriques, o Vitoria SC teve bastante dificuldade para eliminar a turma alentejana da competição. A equipa da cidade berço acabou por vencer a partida por 2-1 e seguir em frente na competição.

Três épocas na 2ª Divisão de Honra é o tempo suficiente para o SC Campomaiorense obter a maturidade suficiente para ascender, pela primeira vez na sua história, ao escalão máximo do futebol português.
.
(Equipa do SC Campomaiorense na temporada de 1992/93)
.

(Plantel do SC Campomaiorense na época de 1993/94)
.
(Em 1993/94 a equipa do SC Campomaiorense)
.
(Plantel do SC Campomaiorense na temporada de 1993/94)
.
Comandado por Manuel Fernandes, o SC Campomaiorense obtém o 2º lugar na classificação do Campeonato Nacional da 2ª Divisão de Honra da temporada de 1994/95.

Com o melhor ataque da prova, com o melhor marcador, a grande estrela Rudez, e a defesa menos batida, facilmente se compreende a justeza da subida do SC Campomaiorense à 1ª Divisão Nacional.
.
(Plantel do SC Campomaiorense na época de 1994/95)
.
(Equipa do SC Campomaiorense na época de 1994/95)
.
Na verdade, desde cedo o SC Campomaiorense assumiu-se líder da prova de 1994/95. Ao longo da prova nunca se afastou dos lugares do pódio que davam a subida de divisão, sendo, por isso, perfeitamente ajustado o feito conseguido.

E só não se sagrou campeão nacional porque, a poucas jornadas do final da competição, sofreu uma derrota caseira e inesperada frente ao Leça FC por 0-2, assumindo a equipa leceira, partir daí, a liderança na classificação.
.
(Equipa do SC Campomaiorense na temporada de 1994/95)
.
A temporada de 1995/96 marca então a estreia do SC Campomaiorense no principal patamar do futebol português. Era o regresso do Alentejo ao mapa do futebol português da 1ª Divisão Nacional.

Para a história fica o primeiro jogo do SC Campomaiorense no escalão máximo do futebol português. Curiosamente, o adversário daquele memorável momento foi o Vitoria SC.
.
(Equipa do SC Campomaiorense na época de 1995/96)
.
No dia 20 de Agosto de 1995, no Estádio Capitão César Correia, perante mais de 7.000 espectadores e sob arbitragem de Vítor Pereira, o SC Campomaiorense, comandado por Manuel Fernandes, apresentou o seguinte onze inicial: Álvaro; Portela, Eurico, Brundin, Nuno Afonso e Paulo Torres; Vítor Manuel, Stoilov, Joel e Bruno Silva; Jorge Silveiro. Neste histórico jogo, pelos alentejanos, jogaram ainda Gila, Quim e o avançado José Albano.

Já pela turma do Vitoria SC, treinada por Vítor Oliveira, apresentou a seguinte equipa inicial: Neno; José Carlos, Arley, Tanta e Basílio; Soeiro, N´dinga, Vítor Paneira e Zahovic; Gilmar e Capucho.
.
(Equipa do SC Campomaiorense na época de 1995/96) .
Na equipa vimaranense actuou ainda o brasileiro Emerson, o autor do golo do triunfo do Vitoria SC por 0-1 que entrou ao intervalo para o lugar de Zahovic, mas ainda o médio Marco Freitas e o goleador Edinho.

Porem, no ano de estreia, o SC Campomaiorense não conseguiu a manutenção na 1ª Divisão Nacional. Não foi alem do penúltimo lugar na tabela classificativa, pagando, sobretudo, a factura da inexperiência na alta roda do futebol.
.
Teve que disputar novamente a 2ª Divisão de Honra na época de 1996/97, com o técnico Diamantino Miranda ao leme da equipa. Esta temporada consubstanciou nova página dourada na histórica do clube alentejano.
.
(Plantel do SC Campomaiorense na época de 1996/97)
.

(Equipa do SC Campomaiorense na temporada de 1996/97)
.
Venceu o Campeonato Nacional da 2ª Divisão de Honra e garantiu o regresso ao escalão máximo do futebol português, dando aqui início ao período áureo da história do clube, com quatro presenças consecutivas na 1ª Divisão Nacional.
.
(Faixas de campeão na época de 1996/97)
.
Mas este regresso ao escalão principal traz uma nova imagem ao clube. O SC Campomaiorense deixa a referência explícita ao Sporting CP assumindo uma imagem própria.

Troca o leão do símbolo sportinguista pelo galgo, consagrando, estatutariamente, a possibilidade de utilização de outras cores alem do tradicional verde e branco alusivo ao Sporting CP. A partir desta altura as cores amarelo-torrado e grená passam também a ser cores utilizadas nos equipamentos do clube.
.
(Plantel do SC Campomaiorense na época de 1997/98)
.
Em 1997/98, o ano do regresso ao patamar mais elevado nacional, o SC Campomaiore foi treinado, inicialmente, por Bernardino Pedroto, mais tarde substituído por João Alves.

Apesar do início algo conturbado, o SC Campomaiorense apagou, nesta época, a pálida imagem que havia deixado aquando da primeira passagem pela 1ª Divisão Nacional na temporada de 1995/96.

A equipa do SC Campomaiorense atingiu nesta época o 11º lugar na classificação final da 1ª Liga Nacional, garantindo, já nas últimas jornadas da competição, a manutenção, afinal, o objectivo primordial do clube.
.
(Equipa do SC Campomaiorense na época de 1997/98) .
Na segunda temporada consecutiva na 1ª Liga Nacional o SC Campomaiorense alcançou, novamente, o propósito da manutenção. A verdade é que a equipa alentejana entrou muito mal na principal competição nacional, levando mesmo à substituição do treinador João Alves pelo seu adjunto José Pereira, momento a partir do qual, o SC Campomaiorense recuperou, paulatinamente, na classificação geral.

O SC Campomaiorense cimentava assim a sua posição na 1ª Liga Nacional e como o digno representante de todo o interior do nosso país no escalão mais alto do futebol português.
.
(Plantel do SC Campomaiorense na época de 1998/99)
.
Nesta época de 1998/99 destaca-se, ainda, outro dos momentos mais importantes na história do clube alentejano, a presença na final da Taça de Portugal. Depois de ter eliminado o SC Braga, o FC Penafiel, o FC Alverca e o CS Marítimo, o SC Campomaiorense defrontou nas meias-finos a AD Esposende.

Derrotando a equipa nortenha por 0-2, o SC Campomaiorense carimbou o passaporte para a final da Taça de Portugal da temporada de 1998/99. Essa final, como tradicionalmente, foi jogada no Estádio Nacional, no Jamor, no dia 13 de Junho de 1999, contra o SC Beira Mar.

Relembre-se a histórica equipa apresentada pela formação alentejana nessa histórica final: Paulo Sérgio; Quim Machado, Marco Almeida, Rene Rivas e Basílio; Mauro Soares, Nuno Campos, Rogério Matias e Isaías; Demetrios e Laelson O técnico José Pereira lançou ainda em campo o médio Vítor Manuel e o avançado brasileiro Wellington.

Contudo, foi o SC Beira Mar o grande vencedor desta edição da Taça de Portugal de 1998/99, derrotando o SC Campomaiorense, por 1-o, com um golo da autoria do médio português Ricardo Sousa, aos 70 minutos de jogo.

Em 1999/00 o SC Campomaiorense, foi treinado por Carlos Manuel e foi novamente 13º classificado no Campeonato Nacional da 1ª Divisão, garantindo, uma vez mais, a manutenção no principal escalão português.
.

(SC Campomaiorense na temporada de 1999/00)

(Equipa do SC Campomaiorense na época de 1999/00)
.
(Equipa do SC Campomaiorense na época de 1999/00)
.
A equipa alentejana fez nesta temporada uma prova bastante irregular, raramente saindo dos lugares aflitivos da classificação. Apenas à 33ª jornada, a penúltima da prova, com uma vitória sobre o SC Farense, é que o SC Campomaiorense garantiu a manutenção.

Na época seguinte, novamente sob o comando de Carlos Manuel, a equipa do SC Campomaiorense, enfraquecida pela saída dos melhores jogadores, não conseguiu evitar a descida de divisão.

Foi o 16º classificado no final da 1ª Liga Nacional da temporada de 2000/01, acabando por ser relegado à Liga de Honra. Na temporada de 2001/02 o SC Campomaiorense apostou muito forte no regresso ao nacional maior.
.

(Plantel do SC Campomaiorense na temporada de 1999/00)

Contudo, embora sendo considerado o mais forte dos candidatos à subida à 1ª Divisão Nacional, o SC Campomaiorense foi, de facto, a grande desilusão da Liga de Honra, quedando-se, apenas, no 10º lugar da classificação geral.

No final desta temporada, muito devido ao insucesso desportivo e a correspondente diminuição das receitas para despesas tão elevadas, o SC Campomaiorense decidiu extinguir a equipa de futebol profissional.

(Plantel do SC Campomaiorense na época de 2001/02)

Manteve apenas as camadas mais jovens do clube ficando com o futebol sénior suspenso durante quatro épocas desportivas consecutivas. O futebol sénior, embora amador, regressou no início da temporada de 2006/07 na 1ª Divisão da AF de Portalegre.

Presentemente, a equipa de futebol sénior do SC Campomaiorense milita na denominada Divisão de Honra, o principal escalão do futebol distrital da Associação de Futebol de Portalegre.


Autor: Alberto de Castro Abreu

Caro Alberto,os meus parabéns pelo seu fantástico trabalho,sou um utilizador recente da internet e o seu trabalho tem-me ensinado muito e surpreendido.Sou de coimbra e uniãonista e foi ao procurar informações sobre o meu União que encontrei o seu trabalho e me tornei visita habitual.Já agora onde posso ver mais informação acerca do meu clube e sobre a(s)alterações de nome da AAC?Mais uma vez os meus sinceros parabéns pelo seu trabalho.Marco Pinto
 
Caro alberto desde ja os meus sinceros parabens! sou de campo maior e adepto do campomaiorense, e de facto ao ler este seu espectacular trabalho recordei as minhas tardes de infancia quando ia ao capitão cesar correia ver os jogos domingo a domingo.. Para ja gostaria de fazer uma recente actualização apesar de militar nos distritais, o campomaiorense ocupa o primeiro lugar desse mesmo campeonto, mas ao que parece nao vai ficar por aqui. o que as bocas do povo dizem "agora é sempre a subir" assim esperamos que seja pois o alentejo merece alguem no topo do panorama nacional!! mais uma vez parabens pelo exelente trabalho.
 
ola sou um campomaiorense se raiz e muito de coração muitos parebens por este trablho sobre o campomaiorense pois é exelente só é pena do campomaiorense estar onde esta só é pena que as vacas gordas do governo tiram benificio aquem apoiava o futebol sr manuel rui azinhais nabeiro pk tirou o apoio ao campo maior? eu sei e tem razao de o fazer pois as vacas gordas nao lhe davao mais leite, mas não tinha o direito de colocar o campo maior onde o colocou ele podia descer ou ate se manter la onde estava, por isso coloque onde ele merece estar e voce, nao é dono de campo maior, muitos parabens sr alberto
 
Caro Alberto, parabéns pelo seu trabalho aqui apresentado. Uma vez que tive o prazer de jogar futebol em miudo no Campomaiorense (Iniciados, Juvenis e Juniores), seria possível um trabalho deste genero mas englobando apenas as camadas mais jovens do Campomaiorense de 1985 a 1990/91?
Obrigado!!
 
Publicar um comentário



<< Home
Site Meter