Glórias do Passado: Estádio Adelino Ribeiro Novo

 

Estádio Adelino Ribeiro Novo


Actualmente o Estádio Adelino Ribeiro Novo é utilizado pelo Gil Vicente FC como um campo de treinos ou de jogos oficiais apenas para as equipas dos escalões de formação da equipa barcelense. A equipa de futebol profissional do Gil Vicente FC passou a utilizar como seu recinto de jogos oficias, a partir de 2004, o novíssimo Estádio Cidade de Barcelos.

O velhinho Estádio ou Campo Adelino Ribeiro Novo foi durante cerca de 70 anos a casa do Gil Vicente FC, ali disputando os seus jogos na condição de visitado e onde ocorreram certamente alguns dos episódios mais marcantes da história deste popular clube.
.

(Aspecto dos balnearios do Campo Adelino Ribeiro Novo na decada de 50)

(Aspecto da bancada lateral com as equipas alinhadas no pelado do Campo Adelino Ribeiro Novo na decada de 70)

O Gil Vicente FC jogou pela primeira vez naquele recinto no dia 3 de Maio de 1933, numa partida frente ao SC Braga. Naquela altura, aquele campo de futebol era conhecido como Campo da Granja, nome do lugar onde foi erigido, e foi oficialmente a primeira casa do Gil Vicente FC.

O Campo da Granja, antes de passar a ser utilizado pelo Gil Vicente FC nos inícios da década de 30, pertenceu ao União Foot-ball Club, um colectividade barcelense, que acabou por ser extinta.

(Campo Adelino Ribeiro Novo na decada de 70)
.

(Um dos topos do Campo Adelino Ribeiro Novo na decada de 70)
.
A denominação oficial daquele campo de futebol, tal qual hoje a conhecemos, advém de uma justa homenagem prestada pelas gentes da cidade de Barcelos e pelo próprio clube a Adelino Ribeiro Novo.

Adelino Ribeiro Novo era um jovem guarda-redes gilista que faleceu em pleno terreno de jogo ao serviço do Gil Vicente FC. Esta fatídica morte ocorreu no dia 16 de Setembro de 1945, em pleno Campo da Granja, numa partida entre o Gil Vicente FC e o GD Aves.
.
(Ao fundo a bancada central coberta do Campo Adelino Ribeiro Novo)
.
Em determinado momento do jogo, o guarda-redes Adelino Ribeiro Novo, no seu estilo destemido, aninhou-se aos pés de um atacante adversário, agarrando a bola com segurança. Salvou arrojadamente um golo, mas não evitou um violento contacto físico com o jogador adversário. A violência do embate foi de tal forma tremenda que lhe dilacerou o baço, provocando-lhe uma fatal hemorragia interna.

O jovem guarda-redes Adelino Ribeiro Novo prostrado no pelado do Campo da Granja não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer provocando um profundo entristecimento nas gentes da terra.
.
(Bancada lateral do Estádio Adelino Ribeiro Novo na decada de 90)
.
(Bancada central coberta do Estádio Adelino Ribeiro Novo)
.
Em sua homenagem, o clube e a cidade decidiram perpetuar o seu nome e a memória do maior mito do clube, atribuindo a designação “Adelino Ribeiro Novo” ao campo de jogos do Gil Vicente FC.

Até sensivelmente à década de 70 aquele recinto desportivo resumia-se, tão só, a um campo de futebol em terra batida, dotado de um pequeno edifício onde estavam instalados os balneários e uma pequena bancada central coberta, construída em madeira.
.
(Estádio Adelino Ribeiro Novo em Barcelos)
.
(Visão de um dos topos do Estádio Adelino Ribeiro Novo na decada de 90)
.
Desde então, foram realizados vários trabalhos de ampliação e beneficiação no Campo Adelino Ribeiro Novo, de tal forma que as actuais condições apresentadas, estando longe da qualidade do moderno Estádio Cidade de Barcelos, é certo, são bem mais aceitáveis para todos aqueles que ali jogam ou assistem a partidas de futebol.

Todavia, ao longo dos anos, as várias obras realizadas no Campo Adelino Ribeiro Novo nunca foram de fundo e integrais. Foram sucessivamente melhorando as condições daquele campo com a construção das bancadas existentes, com o arrelvamento do recinto de jogo por imposição federativa em finais da década de 80, com a colocação de cadeiras e, finalmente, com o advento das transmissões televisivas, a implantação de um sistema de iluminação artificial.
.

(Estádio Adelino Ribeiro Novo na cidade de Barcelos)

(Totalmente dotado de cadeiras os Estádio Adelino Ribeiro Novo em 2001)

O Vitoria SC jogou naquele campo de futebol, certamente, umas dezenas de vezes. A partir de 1933 defrontou ali o Gil Vicente FC em vários jogos particulares ou em competições oficias organizadas pela Associação de Futebol de Braga.

Em jogos de competições de índole nacional terá jogado pela primeira vez no Estádio Adelino Ribeiro Novo num encontro a contar para a Taça de Portugal na temporada de 1987/88.

(Bancada central coberta do Estádio Adelino Ribeiro Novo)

(Por trás da baliza do Estádio Adelino Ribeiro Novo)
.
Nos quartos de final daquela competição o Vitoria SC teve que defrontar a equipa do Gil Vicente FC, naquela altura, a militar na 2ª Divisão Nacional. Depois de no primeiro jogo em Guimarães a equipa de Barcelos ter conseguido um empate a 1-1, o Vitoria SC foi obrigado a realizar o jogo de desempate no Estádio Adelino Ribeiro Novo.

Para história fica as equipas que alinharam nessa partida realizada no dia 17 de Maio de 1988, sob a arbitragem de Azevedo Duarte da A.F. de Braga, onde o Vitoria SC venceu por 0-2, com golos do brasileiro Caio Júnior, apontados aos 11 e 89 minutos de jogo.

O Gil Vicente FC alinhou com Elísio; Luís Marques, Canário, Amadeu e Costa; Belo, Rui Filipe e Neco; Zequinha, Cláudio e Tiano. Os jogadores Nelinho e Meia Noite entraram para os lugares de Luís Marques e Canário.
.
O Vitoria SC, por seu turno, apresentou a seguinte formação inicial: Jesus; Costeado, Nené, Bené e Carvalho; Nascimento, N´Dinga e Adão; Caio Júnior, Ademir e Décio António. Nos vimaranenses jogaram ainda Tozé e Rui Vieira, que entraram no decorrer do segundo tempo para os lugares de Bené e Ademir.
.
(A bancada de topo coberta do Estádio Adelino Ribeiro Novo)

(Visão nocturno do interior do Estádio Adelino Ribeiro Novo)

Já para o Campeonato Nacional da 1ª Divisão, o primeiro jogo entre o Vitoria SC e o Gil Vicente FC disputado no Estádio Adelino Ribeiro Novo remonta à época de 1990/91, numa partida que terminou empatada a 0-0.

A primeira vitória alcançada pelo vimaranenses naquele campo em jogos a contar para a principal competição portuguesa aconteceu na temporada de 1991/92, concretamente na 9ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão.

O Vitoria SC venceu o Gil Vicente FC por 0-2. Perante cerca de 8.000 espectadores, muitos viajando directamente da cidade de Guimarães, o Gil Vicente FC, treinado por António Oliveira, apresentou a seguinte equipa inicial: Quim; Zé Nuno, Morato, Miguel e Laureta; Tuck, Luís Manuel, Mangonga e Fernando Gomes; Capucho e Armando. Na equipa gilista jogaram ainda Zé da Rocha e o brasileiro Raudnei.

A equipa vimaranense, sob o comando técnico de João Alves, apresentou a seguinte formação: Jesus; Basílio, Frederico, Matias e Caetano; N´Dinga, Basaula, Paulo Bento e Paulo Jorge; Caio Júnior e Ziad. Pelo Vitoria SC jogaram ainda o médio Soeiro e o avançado brasileiro João Baptista.

O Vitoria SC adiantou-se bem cedo no marcador, logo aos 5 minutos de jogo, através do avançado tunisino Ziad. No segundo tempo, jogando em contra ataque, o Vitoria SC aumentou a vantagem através do golo de Paulo Jorge aos 73 minutos.

(Bancada lateral do Estádio Adelino Ribeiro Novo)

(Visto do relvado o Estádio Adelino Ribeiro Novo)

(Gil Vicente FC - Vitoria SC na época de 2002/03 - 1º Golo)



(Gil Vicente FC - Vitoria SC na época de 2002/03 - 2º Golo)

A verdade é que as condições oferecidas pelo Campo Adelino Ribeiro Novo eram bastante limitadas e não se coadunavam, obviamente, com as exigências do moderno futebol profissional, nem com as ambições do Gil Vicente FC ou a imagem da cidade de Barcelos.

Deste modo, a autarquia local decidiu construir um novo complexo desportivo que incluía um moderno estádio de futebol. Assim, foi edificado na freguesia de Vila Boa do concelho de Barcelos, a norte da cidade, o Estádio Cidade de Barcelos.

(Maquete do novo Estádio Cidade de Barcelos)

(Construção do Novo Estádio Cidade de Barcelos)

Uma moderna infra-estrutura dotada de um campo de futebol relvado, com iluminação artificial, quatro bancadas cobertas com toda a comodidade e vários parques de estacionamento, entre outras especificações típicas das mais modernas construções desportivas.

O Estádio Cidade de Barcelos, propriedade da Câmara Municipal de Barcelos, tem capacidade para 12.504 pessoas, distribuídas por quatro bancadas totalmente cobertas. Uma bancada central e uma no topo sul, com piso inferior e superior, e outras duas bancadas, situadas na zona central nascente, e no topo norte, apenas com um piso.

(Visão aerea do Estádio Cidade de Barcelos)

(Exterior do Estádio Cidade de Barcelos)

A inauguração oficial daquele estádio ocorreu no 30 de Maio de 2004, com uma partida de futebol disputada entre a equipa do Gil Vicente FC e os uruguaios do Nacional de Montevideu, que os gilistas perderam por 1-2.

Desde aquela data que o Estádio Cidade de Barcelos é o recinto oficial do Gil Vicente FC, mas também de outras actividades ou eventos organizados pela Câmara Municipal de Barcelos. Alem disso, aquele estádio minhoto já foi palco de alguns jogos da selecção nacional de futebol, quer da equipa principal, quer em categorias jovens.

(Bancada central do Estádio Cidade de Barcelos)

(Aspecto geral da bancada central do Estádio Cidade de Barcelos)

No Estádio Cidade de Barcelos o Vitoria SC jogou pela primeira vez, oficialmente, na noite do dia 4 de Março de 2005, em jogo a contar para a 24ª jornada da Superliga de 2004/05. Este era um jogo decisivo na caminhada de ambas as equipas na prova, por uma lado, o Gil Vicente FC na luta pela permanência na 1ª Divisão Nacional, e por outro lado, o Vitoria SC, na disputa por um lugar de acesso à Taça Uefa.

O Vitoria SC adiantou-se no marcador através de um auto golo do gilista Ednilson, após a transformação de um canto executado pelo brasileiro Luis Mário. Aos 43 minutos, Djurdevic aumentou a vantagem para o Vitoria SC apontando o segundo golo vitoriano.

(Bancada do topo sul do Estádio Cidade de Barcelos)

(Estádio Cidade de Barcelos)

Ja no decorrer do segundo tempo, precisamente aos 64 minutos o avançado Carlos Carneiro reduziu para 1-2, mas perto do final do encontro, o defesa do Vitoria SC Cléber marcou o 1-3 que selou o triunfo naquele desafio.

Naquele encontro, que teve a arbitragem de Mário Mendes, Gil Vicente FC alinhou com Paulo Jorge; Rovérsio, Nuno Amaro, Marcos António eEzequias; Ednilson, Luis Coentrão, Nandinho e Carlitos; Carlos Carneiro e Fabio Januário. Na equipa barcelense jogaram ainda Bruno Tiago, Paulo Costa e Val Baiano.

(Topo norte do Estádio Cidade de Barcelos)

(Bancada lateral do Estádio Cidade de Barcelos)

Por seu turno, a equipa do Vitoria SC alinhou com a seguinte equipa inicial: Palatsi, Alex, Cléber, Paulo Turra e Rogério Matias; Flávio Meireles, Moreno, Djurdevic e Marco Ferreira; Luis Mário e Tiago Targino.

Durante o encontro o tecnico do Vitoria SC Manuel Machado fez entrar os defesas Bessa e Dragoner, respectivamente para os lugares de Alex e Djurdevic, e o médio brasileiro Alexandre que entrou para substituir Moreno.

.






(Os golos do encontro entre o Gil Vicente FC e o Vitoria SC no Estádio Cidade de Barcelos na temporada de 2004/05, à 24ª jornada da Superliga)


Autor: Alberto de Castro Abreu

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Queria dar os parabéns pelo blog, já o li de uma ponta à outra e está excelente. Como sportinguista que sou aprendi muito sobre o Vitória aqui. Já agora faço publicidade do meu mais recente blog: www.craqueseflopsleoninos.blogspot.com
Saudações desportivas!
 
M. Paim:

Agradeço as suas palavras, esperando que continue a visitar este blogue com assiduidade e a comentar sempre que possivel.

Quanto a esse novo blogue, pelo tema interessante que trata, irei tambem linkar na minha lista de blogues recomendados.

Saudações Vitorianas!

Alberto de Castro Abreu
 
Enviar um comentário



<< Home
Site Meter