Glórias do Passado: Melo

 

Melo


Joaquim Alberto Castanheira de Melo, mais conhecido no mundo do futebol português simplesmente pelo seu sobrenome Melo, nasceu na cidade de Coimbra no dia 11 de Setembro de 1949. Melo, cuja alcunha era “o corvo”, foi um dos bons guarda-redes portugueses da sua época, com uma carreira como jogador profissional que atingiu uma longevidade rara atravessando toda a década de 70 e 80.

Contabilizando cerca de 27 anos ininterruptos como jogador de futebol, Melo notabilizou-se a defender as balizas de clubes como a Académica de Coimbra, o CF União de Coimbra, o CF Belenenses, Sporting CP, o CF União da Madeira, CF Estrela da Amadora, mas também o Vitoria Sport Clube, formação pela qual alinhou em 4 temporadas consecutivas.

Melo, que terminou a sua carreira como jogador profissional de futebol aos 41 anos de idade, passou por varias gerações de grandes guarda-redes portugueses como os casos de José Henrique, Vítor Damas, Bento, Jorge Martins, Jesus, Neno ou Silvino, que invariavelmente o impediram de ganhar maior notoriedade, nomeadamente ao serviço da Selecção Nacional, pela qual apenas contabilizou um internacionalização pela Selecção “B” em 1977/78 quando era profissional do Vitoria SC.
.
Foi várias vezes o guarda-redes suplente de Portugal no escalão de juniores. A sua internacionalização pela Selecção Nacional “B” ocorreu numa partida disputada entre Portugal e a França no Estádio José de Alvalade que terminou empatado a 1-1. Neste encontro, Melo foi unanimemente considerado como um dos melhores jogadores da equipa nacional no confronto com a selecção gaulesa.
.
(Melo na Selecção de Portugal "B")

(Com o equipamento da Selecção de Portugal "B")

A carreira deste guarda-redes iniciou-se oficialmente na temporada de 1964/65 quando, com 15 anos de idade representava o CF União de Coimbra, clube originário do popular Bairro da Arregaça na estudantil cidade de Coimbra, onde o jovem Melo daria os seus primeiros passos como jogador de futebol.

Posteriormente, ainda em idade de juvenil, passou a jogar na Académica de Coimbra, o principal clube conimbricense. Naquele período sagrou-se Vice-Campeão Nacional de Juniores em 1967/68 ao serviço da Académica de Coimbra, numa final que perdeu para o SL Benfica de Humberto Coelho, Artur, Vítor Martins e Néne.

Regressaria na época seguinte ao CF União de Coimbra onde viria a fazer a sua primeira aparição no escalão sénior, sendo inicialmente suplente do guarda-redes unionista Travessas. Foi também ao serviço do CF União de Coimbra que fez a sua estreia no principal escalão do futebol português.

No CF União de Coimbra fez parte integrou a equipa que subiu da 3ª Divisão Nacional à 2ª Divisão e, no ano imediatamente a seguir, subiu da 2ª Divisão Nacional ao primeiro escalão do futebol português. De resto, conquistou mesmo Campeonato Nacional da 2ª Divisão ao serviço do CF União de Coimbra na temporada de 1971/72.

(União de Coimbra na temporada de 1971/72)
.

(União de Coimbra na época de 1971/72)

O CF União de Coimbra subiu à 1ª Divisão Nacional e participou pela única vez na sua história no Campeonato da época de 1972/73. Efémera foi, todavia, a passagem daquela equipa da cidade de Coimbra pela 1ª Divisão Nacional, pois no final da época acabou relegado novamente ao escalão secundário.

A equipa inicialmente treinada por Francisco Andrade não conseguiu evitar os maus resultados que originaram o 14º lugar no final do Campeonato Nacional da 1ª Divisão da temporada de 1972/73. Nem mesmo algumas exibições fantásticas protagonizadas pelo guarda-redes Melo, que se destacou nos jogos do Campeonato Nacional conseguiram, impedir a descida de divisão.

(Melo no União de Coimbra em 1972/73)
.
No Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 1972/73, o primeiro de muitos, Melo actuou em 27 partidas oficiais. Destaque ainda para o confronto que opôs o CF União de Coimbra ao Vitoria de Guimarães nesta mesma temporada, em jogo a contar para a Taça de Portugal disputado no Estádio Municipal de Guimarães, em que os vimaranenses venceram e eliminaram a equipa de Coimbra por um concludente 3-0.
.
(União de Coimbra na época de 1972/73)
.
Como não passaram despercebidas as exibições protagonizadas e qualidades que Melo evidenciava, este acabou por permanecer na divisão maior do futebol português, iniciando na temporada de 1973/74 um período de 4 épocas consecutivas ao serviço do CF Belenenses.

No primeiro ano nos azuis de Restelo, treinados por Alejandro Scopelli, Melo não participou em nenhum jogo oficial do Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 1973/74. Melo foi o 3º guarda-redes do plantel do CF Belenenses, que terminou a prova na 5ª posição da geral, onde Ruas era o guardião titular e Félix Mourinho o suplente.
.
Esta situação alterar-se-ia na temporada seguinte quando Melo fixou-se definitivamente como titular da baliza do clube da Cruz de Cristo deixando o guarda-redes Figueiredo como suplente. Peres Bandeira, o técnico do CF Belenenses, apostou em Melo que realizaria 28 jogos oficias no Campeonato Nacional da época de 1974/75, em que a formação da cidade de Lisboa alcançou o 6º lugar final na tabela classificativa da competição.
.
(No CF Belenenses na época de 1974/75)
.
Nas épocas de 1975/76 e 1976/77 o guarda-redes Melo manteve a condição de titular indiscutível na formação do CF Belenenses não dando grandes hipóteses à concorrência.

Na temporada de 1975/76, o CF Belenenses realizou uma brilhante carreira no Campeonato Nacional da 1ª Divisão, terminando essa prova no 3º lugar. Para essa classificação muito contribuíram as exibições de Melo que alinhou nas 30 partidas oficiais da competição, sendo mesmo, o 3º guarda-redes menos batido na 1ª Divisão Nacional.
.
Foi novamente eliminado pelo Vitoria de Guimarães na edição da Taça de Portugal desta temporada. Novamente no Estádio Municipal de Guimarães, onde os vimaranenses derrotaram o CF Belenenses por 3-1.
.
(CF Belenenses na época de 1975/76)
.
(O guarda-redes do CF Belenenses na época de 1975/76)
.
A época de 1976/77 seria o ultimo ano daquela que seria a primeira passagem de Melo pelo Restelo, clube ao qual iria voltar em meados da década de 80, depois de transitar pelo Vitoria de Guimarães e pelo Sporting CP. Nesta temporada, Melo manteve-se como principal guarda-redes do CB Belenenses, onde alinharia em 27 jogos oficiais.
.
Não foi porém para o CF Belenenses uma época ao nível da anterior. No Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 1976/77, a equipa do Restelo foi apenas 10ª classificada no final da competição depois de passar por momentos bem complicados, como se depreende da passagem dos técnicos Carlos Silva, Alfredo Quaresma e Severiano Correira, pelo cargo de treinador principal.

(Com o massagista do CF Belenenses em 1976/77)

(Na época de 1976/77 no CF Belenenses)
. (No Estádio da Luz no encontro SL Benfica - CF Belenenses)
.

(Num estilo bem caracteristico dos guarda-redes portugueses na decada de 70)
.
(Desolado, não conseguiu evitar o golo do GD Estoril frente ao CF Belenenses)
.
(Com a camisola do CF Belenenses na época de 1976/77)
.

(Caricatura de Melo)
.
Abandonou o Restelo e rumou ao norte do país, prosseguindo a sua carreira no Vitoria de Guimarães, clube onde permaneceu durante as quatro temporadas que se seguiram, nomeadamente entre 1977/78 a 1980/81.

O Vitoria que havia passado por momentos complicados na época de 1976/77 tinha como guarda-redes principal o alentejano Rodrigues, que assim iria passar a ter a concorrência de outro guardião de qualidade para com ele rivalizar na luta pela titularidade da baliza vitoriana.
.
Mário Wilson, que na época de 1977/78 estava de regresso aos comandos técnicos do Vitoria Sport Clube, indicou a contratação do guarda redes Melo que na altura contava com 27 anos de idade e era já considerado como um dos melhores guarda redes portugueses.
.
(Vitoria SC na época de 1977/78)
.
(Melo no Vitoria SC na época de 1977/78)
.
(Melo aos pés de V. Baptista do SL Benfica, no Estádio da Luz, ao serviço do Vitoria SC)
.

(Vitoria SC na temporada de 1977/78)
.
De facto, Melo apresentava uma estatura elevada para aquilo que era usual em guarda-redes portugueses naquela altura. Por isso, tinha como grande virtude a forma exemplar com que abandonava os postes da baliza para desfazer os cruzamentos. Alem de forte no jogo aéreo, o Melo possuía excelentes reflexos e muita elasticidade, que favoreciam as defesas espectaculares que fazia.
.
Bom profissional e abnegado, Melo era também sempre muito sereno durante o jogo, condição essencial para as características de um bom guarda-redes. O seu estilo era também inconfundível e recorrente nos campos de futebol nacional. Alto, franzino estilo enguia, com grande barba ou bigode preto, era esta a fisionomia de Melo, que com o passar da idade e o final da carreira passou ao grisalho.

(Melo não conseguiu evitar o golo do SL Benfica)

(Melo no Vitoria SC na época de 1977/78)
.
(Vitoria SC na temporada de 1977/78)
.
No Vitoria da época de 1977/78 foi titular indiscutível relegando para o banco de suplentes o guardião Rodrigues, aquele que até aí havia sido o dono das balizas vitorianas. Jogou em 25 partidas oficiais no Campeonato Nacional da 1ª Divisão em que o Vitoria se classificaria na 6ª posição, posição que viria a repetir nas duas temporadas seguintes.

A equipa do Vitoria efectua uma temporada de qualidade, sempre próxima dos lugares da frente, mas acaba por perder novamente o acesso às competições europeias devido a uma segunda volta do Campeonato Nacional de fraca qualidade onde apenas venceu o Vitoria de Setúbal e Portimonense SC.
.
(Estirada do guarda redes Melo no Estádio da Luz ao serviço do Vitoria SC)
.
Em 1978/79 tudo se manteve como na época anterior. Melo continuou titular da baliza do Vitoria e Rodrigues e Sílvio como guarda-redes suplentes. O Vitoria voltou a posicionar-se na 6ª posição no Campeonato Nacional da 1ª Divisão e Mário Wilson continuou como técnico, que, porém, seria substituído à 28ª jornada pelo adjunto Daniel Barreto.
.
Mais uma vez o Vitoria realiza uma época de qualidade para o que muito contribuiu a segurança na baliza que Melo proporcionava. Perde, contudo, o jogo decisivo na luta por um lugar nas provas internacionais de clubes contra o SC Braga em Guimarães por 0-1.

(Vitoria SC na temporada de 1978/79)

(Com o equipamento negro do Vitoria SC no Estádio Municipal)
.

(Caricatura de Melo no Vitoria SC)

(Vitoria SC na época de 1978/79)
.
(Melo no Vitoria SC)
.
(No FC Porto - Vitoria SC na época de 1978/79)
.
(Nova caricatura de Melo no Vitoria SC)
.
(Vitoria SC na época de 1978/79)
.
(Caricatura de Melo)
.
(Vitoria SC na temporada de 1978/79)
.
(Foto a cores do Vitoria SC na época de 1978/79)
.
A partir da época de 1979/80, o guardião Melo deixa de ter a concorrência de Rodrigues para o posto de guarda-redes na equipa do Vitoria. Este, depois de 9 épocas ao serviço do Vitoria, colocou um ponto final na sua carreira depois de passar duas temporadas como suplente de Melo. Saiu Rodrigues, mas foi promovido o júnior Sérgio, guarda-redes que mais tarde de destacaria ao serviço do FC Vizela. Alem do jovem Sérgio, Melo continuou a ter também como seu suplente o guarda-redes Sílvio.

Contudo, Melo continuou sem dar abébias à concorrência de sector. Permaneceu titular no Vitoria de 1979/80 que teve como treinador o argentino Mário Imbelloni e mais tarde o Professor Cassiano Gouveia e que mais uma vez terminou a prova na 6ª posição da classificação geral do Campeonato Nacional da 1ª Divisão.
.
(Vitoria SC na temporada de 1979/80)
.
(Melo no Vitoria SC)
.
(Mais uma caricatura de Melo no Vitoria SC)
.
(Melo com o equipamento de guarda-redes do Vitoria SC)
.
(Vitoria SC na época de 1979/80)
.
(Em 1979/80 no Vitoria SC)
.
Melo actuou em 28 encontros oficiais da competição, onde o Vitoria iniciou a prova em grande estilo, coleccionando bons resultados, essencialmente fruto da coesão defensiva que assentava em primeira instancia nas prestações do guarda redes Melo e depois na dupla de defesas centrais Manaca e Tozé.
.
A equipa acabou por ter uma quebra de rendimento na viragem da primeira para a segunda volta do Campeonato Nacional da 1ª Divisão e após um derrota caseira frente ao SC Beira Mar por 0-1, o recém empossado Presidente da Direcção do Vitoria, Pimenta Machado, decidiu despedir o contestadíssimo técnico argentino Mário Imbelloni, substituindo-o pelo seu preparador físico Cassiano Gouveia.
.
(Nova caricatura de Melo no Vitoria SC)
.
(Melo "pregado" ao relvado incapaz de suster a bola que entra na baliza do VSC)
.
(Melo no Vitoria SC)
.
(Vitoria SC na época de 1979/80)
.
(Melo o guarda-redes do Vitoria SC)
.
(No Vitoria SC na época de 1979/80)
.
Para a época de 1980/81, a primeira a ser integralmente preparada pela nova Direcção presidida por Pimenta Machado, o Vitoria contratou para treinador o português Fernando Peres, mantendo o Professor Cassiano Gouveia na área da preparação física.
.
Fez também sonantes aquisições pois o objectivo declarado era atingir um lugar nas competições da Uefa. Além do avançado centro holandês Tom Blanker, o Vitoria contratou ainda o defesa Barrinha, o médio Ribeiro e, ao SL Benfica, o avançado Fonseca. Porém, a super contratação do Vitoria foi a aquisição do guarda-redes internacional português Damas vindo de uma passagem pelo futebol espanhol.
.
(Vitoria SC no inicio da temporada de 1980/81)
.
(Melo no Vitoria SC)
.
Com esta aquisição sofreu o ora recordado Melo que acabou por perder a titularidade na baliza do Vitoria para o conceituado Vítor Damas. O Vitoria começa bem o Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 1980/81, estando em 1º lugar na 3ª jornada. Depois não consegue vencer qualquer jogo até à 7ª jornada o que faz desesperar o Presidente da Direcção que decide demitir a dupla de técnicos Fernando Peres e Cassiano Gouveia.
.
Para os substituir chega ao Vitoria a mais reputada equipa técnica do futebol português. José Maria Pedroto era o líder da equipa, coadjuvado por Artur Jorge e António Morais. O Vitoria melhora significativamente alcançando excelentes resultados que o recolocam no topo da tabela incluindo-se como sério candidato a um lugar nas provas europeias de clubes.
.
(Vitoria SC na época de 1980/81)
.
(Melo na equipa do Vitoria SC)
.
Infelizmente, o Vitoria não conseguiu atingir o desiderato desejado terminando a prova na 5ª posição da tabela classificativa. Um dos jogos mais importantes na luta pelo 4º lugar que permitia o acesso as competições europeias disputou-se em Guimarães, no embate entre o Vitoria e o Boavista FC, que os boavisteiros venceram por 1-2 com um celebre “frango” de Damas.
.
Nesta época de 1980/81, Melo apenas actuaria em 8 partidas oficiais do Campeonato Nacional da 1ª Divisão e em face disso optou por dar um novo rumo à sua carreira ainda mais depois de ter sido convidado pelos responsáveis do Sporting CP para integrar o plantel leonino.
.
(Vitoria SC na época de 1980/81)
.
O Sporting CP, que havia tido um grande problema no posto de guarda-redes na época de 1980/81, sem que nenhum dos cinco (Fidalgo, Vaz, Crispim, Caeiro, Carlos Ferrerira) guardiões que pertenciam ao plantel conseguissem convencer, decidiu na época de 1981/82 apostar forte nesse sector da equipa.

Assim, o Sporting CP treinado pelo inglês Malcolm Allison, contratou o Melo, um experiente guarda-redes português proveniente do Vitoria de Guimarães, e ainda, Ferenc Meszaros, internacional húngaro e um dos melhores jogadores no seu posto em toda a Europa, alem de Fidalgo que permaneceu no plantel.
.
(Sporting CP na temporada de 1981/82)
.
(O guarda redes Melo)
.
Naturalmente que o internacional húngaro devido à sua imensa qualidade não deu qualquer chance aos outros dois “goleiros” do plantel do Sporting CP. Melo apenas actuaria em 2 partidas no Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 1981/82 no qual o Sporting CP conquistou o ceptro de Campeão Nacional.

Foi o primeiro título nacional na carreira de Melo ao qual iria juntar a Taça de Portugal na mesma época, com o Sporting CP a fazer assim a denominada dobradinha, vencendo o SC Braga na final do Jamor por categóricos 4-0.
.
(Melo guarda-redes no Sporting CP na temporada de 1981/82)
.
Permaneceria dois anos mais ao serviço do Sporting CP mas sempre na condição de guarda-redes suplentes. Na época de 1982/83, com António Oliveira que foi substituído por Jozef Venglos como treinadores, o Sporting CP foi 3º classificado no Campeonato Nacional, com Melo a actuar novamente apenas em 2 jogos oficias, dividindo a condição de suplente da baliza leonina com Fidalgo, já que Meszaros continuava sem dar qualquer hipóteses.
.
(No Sporting CP na temporada de 1982/83)
.
(Novamente em 1982/83 no Sporting CP)
.
Na temporada seguinte, o Sporting CP voltou a ser 3º classificado, mas Melo já actuou em 5 jogos oficiais da principal competição nacional, sendo desta feita o suplente de Bella Katzirz, um inenarrável guarda redes húngaro, de qualidade certamente muito inferior ao português.
.
Alias, deste húngaro de má memoria para o Sporting CP, recorda-se o monumental “frango” que sofreu em Guimarães, no Estádio Municipal, a um remate do médio do Vitoria Teixeirinha desferido quase da linha de meio campo, num encontro realizado debaixo de tempestade torrencial e em que os vimaranenses venceram os leões de Alvalade por um sensacional por 4-3.
.
(Sporting CP na época de 1983/84)
.
Regressaria, com 34 anos de idade, ao CF Belenenses na temporada de 1984/85 para ocupar a baliza do Restelo na equipa comandada pelo treinador Jimmy Melia. Jogou 16 encontros oficiais no Campeonato Nacional da 1ª Divisão daquela temporada, dividindo posto de titular das redes azuis com o guarda-redes Justino.
.
(CF Belenenses na época de 1984/85)
.
(Melo no CF Belenenses na temporada de 1984/85)
.
(CF Belenenses na época de 1984/85 no Estádio Municipal de Guimarães)
.
(FC Porto - CF Belenenses, onde Melo assiste aos festejos de Gomes que acabava de marcar o golo para a equipa portista)
.
(CF Belenenses na época de 1984/85)
.
Antes de em 1985/86 rumar ao CF Estrela da Amadora, clube pelo qual Melo colocaria ponto final na sua carreira de jogador profissional de futebol, o guarda redes português representou ainda o CF União da Madeira a militar na Zona Sul da 2ª Divisão Nacional. A equipa insular ainda disputou os jogos da liguilha de acesso à 1ª Divisão Nacional sem contudo conseguir atingir esse patamar.
.
(CF União da Madeira na temporada de 1985/86)
.
(Melo no CF União da Madeira)
.
(CF União da Madeira na época de 1985/86)
.
Melo esteve 6 épocas consecutivas ao serviço do CF Estrela da Amadora. Nas primeiras três temporadas a militar na 2ª Divisão Nacional, concretamente no Campeonato da Zona Sul, onde repetidamente tentava o acesso ao primeiro escalão do futebol português. Esse feito viria a ser alcançado na época de 1987/88 onde o CF Estrela da Amadora terminaria a prova em 1º lugar daquela série, depois de nas temporadas de 1985/86 e 1986/87 se ter classificado no 3º e 2º posto respectivamente.
.
(CF Estrela da Amadora na época de 1986/87)
.
(Melo no CF Estrela da Amadora na época de 1987/88)
.
Na época de 1988/89, Melo, com quase 40 anos de idade, atinge então mais uma vez o patamar mais elevado do futebol nacional com a camisola do CF Estrela da Amadora. Nessa primeira época na 1ª Divisão, o CF Estrela da Amadora, treinado por João Alves, foi a equipa sensação com um tranquilo 8º lugar obtido na prova.
.
No Campeonato Nacional da 1ª Divisão da época de 1988/89, Melo apenas foi utilizado em 8 partidas oficiais pelo treinador João Alves. Melo, juntamente com o guarda-redes também ele veterano Valter, foram praticamente toda a época os suplentes do guardião brasileiro Hugo, o titular da baliza amadorense.
.
(CF Estrela da Amadora na temporada de 1988/89)
.
(Melo no CF Estrela da Amadora na época de 1988/89)
.
(Melo o capitão do CF Estrela da Amadora)
.
(Melo no CF Estrela da Amadora na época de 1988/89)
.
Na época seguinte, o CF Estrela da Amadora, juntaria ainda àquele trio de guarda-redes, o guardião Álvaro. Os quatro elementos daquele sector foram todos utilizados pelo treinador João Alves na temporada de 1989/90, contudo, Melo acabou por ser aquele que mais vezes foi usado, com um total de 19 partidas na prova em que o CF Estrela da Amadora foi 13º classificado.

Mas o ponto alto do CF Estrela da Amadora naquela época e também na sua história foi a conquista da Taça de Portugal na edição de 1989/90. Melo foi um dos protagonistas nessa conquista pois foi o guarda-redes da equipa que jogou a final e a finalíssima no Estádio do Jamor frente ao SC Farense.
.
Acabou por conquistar aos 41 anos de idade, em plena actividade, mais um troféu que ilustra e bem a sua carreira. O CF Estrela da Amadora depois de deixar pelo caminho o GD Estoril Praia, o SC Braga, o FC Marco, o FC Tirsense e o Vitoria Sport Clube, encontrou na final da competição o SC Farense na época a militar na 2ª Divisão Nacional.
.
(CF Estrela da Amadora na final da Taça de Portugal de 1989/90)
.
Aquela final da Taça de Portugal acabou por ter que se realizar em duas partidas pois no primeiro encontro não se foi alem de uma igualdade a 1-1. Apenas no jogo da finalíssima, o primodivisionário CF Estrela da Amadora acabou por levar de vencida os leões do Algarve com uma vitória por 2-0.

Melo jogou ainda mais uma época no CF Estrela da Amadora e com 42 anos de idade colocou definitivamente um ponto final na sua longa carreira de jogador, depois de no decurso de um encontro ter embatido com violência num dos postes da baliza, a sua fiel “companheira” de uma carreira, causando-lhe um traumatismo craniano.
.
Em 1990/91 ainda pertenceu ao plantel comando por Manuel Fernandes, seu antigo companheiro de equipa no Sporting CP, que não conseguiu evitar a descida à 2ª Divisão de Honra.
.
(No CF Estrela da Amadora na temporada de 1990/91)
.
(Melo em Alvalade frente ao Sporting CP em 1990/91)
.
Abandonada a carreira de jogador profissional, Melo continuaria e continua ligado ao futebol. Na vertente de treinador de guarda-redes passou pelo futebol de formação do CF Belenenses entre as épocas de 1992/93 e 1998/99. Em 1999/00 pela UD Leiria e em 2003/04 pelo GD Pescadores da Costa da Caparica.
.
Desde da época de 2005/06 que Melo desempenha as funções de técnico de guarda-redes no departamento de futebol do Sporting Clube de Linda-A-Velha, quer na área da formação, quer na equipe sénior. Hoje, muito perto de completar 58 anos de idade, este antigo e um dos mais conceituados guarda-redes do futebol português, que nos finais da década de 70 alinhou pelo Vitoria Sport Clube, continua a integrar estrutura técnica daquele modesto clube de Linda-A-Velha, freguesia do concelho de Oeiras.
.
(Hoje o antigo guarda-redes Melo)


Autor: Alberto de Castro Abreu

que faz o melo hoje em dia?
 
Caro Anonimo, este trecho do texto sobre o Melo responderá à sua questão, pelo menos no plano desportivo.

"Desde da época de 2005/06 que Melo desempenha as funções de técnico de guarda-redes no departamento de futebol do Sporting Clube de Linda-A-Velha, quer na área da formação, quer na equipe sénior. Hoje, muito perto de completar 58 anos de idade, este antigo e um dos mais conceituados guarda-redes do futebol português, que nos finais da década de 70 alinhou pelo Vitoria Sport Clube, continua a integrar estrutura técnica daquele modesto clube de Linda-A-Velha, freguesia do concelho de Oeiras."
 
site

http://cfuniao.synthasite.com/

forum
http://cfuniaomadeira.queroumforum.com/index.php
 
foi meu treinador no belenenses 3 anos bons tempos
 
Enviar um comentário



<< Home
Site Meter