Glórias do Passado: Fonseca

 

Fonseca


Paulo Alexandre Rodrigues Fonseca, ou simplesmente Fonseca conforme ficou conhecido no fenómeno futebolístico, nasceu em Moçambique no dia 5 de Março de 1973. Tratava-se de um defesa central que representou o Vitoria de Guimarães durante 2 temporadas no final da década de 90, sem grande sucesso, diga-se de passagem, devido essencialmente as graves lesões que foi vitima e que o remeteram a longos períodos de ausência.

Fonseca começou a jogar no Galitos, onde registou a sua primeira inscrição oficial na F.P.F., mas no futebol profissional surge no FC Barreirense na época de 1989/90, quando aquela equipa do Barreiro militava na 2ª Divisão de Honra. Nessa temporada faz a sua estreia no futebol sénior com apenas 18 anos de idade, numa equipa do FC Barreirense que não foi alem do último lugar no Campeonato Nacional da 2ª Divisão de Honra acabando relegada ao escalão inferior.
.
Seguiram-se quatro épocas consecutivas na 2ª Divisão B, ainda ao serviço do FC Barreirense, entre as temporadas de 1991/92 e o final da época de 1994/95. Durante esses quatro anos Fonseca ganhou maturidade e foi paulatinamente conquistando uma posição de destaque na equipa do Barreiro de forma que acabou por ser transferido para o FC Porto.
.
(FC Barreirense 1992/93)
.
Nessas quatro épocas na 2ª Divisão B, o FC Barreirense falhou consecutivamente o regresso à 2ª Divisão de Honra, mas Fonseca tornou-se num dos jogadores basilares daquela formação. Era titular indiscutível nas formações que foram comandadas por técnicos como Luís Norton de Matos e Jean Paul.
.
(FC Barreirense 1994/95)
.
No defeso da época de 1995/96 rubrica contrato com o FC Porto, mas nunca chegou a vestir a camisola dos azuis e brancos, pois foi sistematicamente colocado na lista de jogadores emprestados e, por fim, acabou mesmo por ser cedido definitivamente ao Vitoria SC em 1998/99.

Mas em 1995/96, o defesa Fonseca fez a sua estreia na 1ª Divisão Nacional. Cedido pelo FC Porto ao Leça FC, comandado pelo técnico Fernando Festas - treinador que o lançou – Fonseca fez a sua estreia oficial na principal liga portuguesa precisamente contra os azuis e brancos, à passagem da 4ª jornada, no Estádio do Leça FC, numa partida arbitrada por João Mesquita da A.F. Porto.
.
Fonseca foi titular nessa partida que o FC Porto venceu por 0-2, com os golos a serem apontados, um pelo polaco Mielcarsky e outro pelo internacional português Domingos Paciência.
.
(Leça FC 1995/96)
.
Se inicialmente Fonseca era utilizado apenas esporadicamente, já a partir sensivelmente da 13ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 1995/96, o jovem defesa central ganhou um lugar de titular na equipa leceira, fazendo uma dupla de centrais com o possante brasileiro Isaías.

Destaque-se ainda que foi nesta sua primeira época na 1ª Divisão Nacional que Fonseca defrontou o Vitoria de Guimarães oficialmente pela primeira vez na sua carreira. Na 1ª volta, à 14ª jornada, com Fonseca a titular, o Leça FC venceu os vimaranenses treinados por Vítor Oliveira por 1-0, com um golo da autoria do dinâmico avançado Constantino.
.
No decorrer da 2ª volta, já com Jaime Pacheco sentado no banco de suplentes do Vitoria de Guimarães, o Leça FC foi derrotado no Estádio D. Afonso Henriques por 2-0, com os golos dos vimaranenses a serem anotados por Capucho e Edinho.
.
(Fonseca no Leça FC em 1995/96)
.
Depois das boas indicações deixadas no ano de estreia no primeiro escalão do futebol português, não faltou clubes interessados na aquisição dos serviços de Fonseca para a época de 1996/97. Acabou cedido ao CF Belenenses, primeiramente treinado por Quinito, que foi mais tarde substituído por Vítor Manuel.
.
A estreia com a camisola da cruz de Cristo deu-se na tarde do dia 15 de Setembro de 1996, na partida arbitrada por Paulo Baptista, que opôs o CF Belenenses ao SC Espinho. Nesse jogo disputado no Estádio do Restelo, com uma assistência a rondar as 2.000 pessoas, Fonseca foi titular no centro da defesa do CF Belenenses, cifrando-se o resultado final num 0-0.
.
(CF Belenenses 1996/97)
.
No CF Belenenses, inicialmente, nem sempre Fonseca foi a primeira opção. Filgueira e Paulo Madeira era a dupla titular. Todavia, a partir de determinada altura o sistema táctico passou a ser preferencialmente de três centrais, e aí Fonseca ganhou o seu espaço e passou a ser titular indiscutível.

Foi ao serviço do CF Belenenses que apontou o seu primeiro golo oficial na 1ª Divisão Nacional. De resto, tratou-se de um golo histórico não só para Fonseca, como certamente para o próprio clube do Restelo.

Ocorreu no dia 25 de Janeiro de 1997, no antigo Estádio da Luz, numa partida em que o SL Benfica, a atravessar uma das maiores crises da sua história, foi derrotado pelo CF Belenenses por 1-2. Perante pouco mais de 5.000 espectadores, Fonseca apontou o primeiro golo dos azuis do Restelo logo ao 6 minutos de jogo, para à passagem do minuto 30, Bermudez, defesa colombiano do SL Benfica, fazer aumentar o marcador a favor do CF Belenenses com um auto-golo.
.
O SL Benfica ainda reduziu no início da segunda metade do encontro por intermédio de Bruno Caíres, mas de forma insuficiente para evitar a derrota caseira por 1-2. Fonseca fez um extraordinário desafio “secando” completamente os avançados Martin Pringle e Donizzete do SL Benfica. De resto, pela exibição, bem como pelo golo conseguido, Fonseca foi mesmo considerado pela crítica desportiva como o melhor jogador em campo.
.
(Fonseca no CF Belenenses na época de 1996/97)
.
Em 1997/98 rumou ao CS Marítimo, treinado por Augusto Inácio, onde Fonseca despontou definitivamente, realizando uma temporada de grande nível, acabando mesmo por ser um dos destaques do Campeonato Nacional da 1ª Divisão daquela época. Realizou 31 jogos oficiais naquela época onde apontou ainda 2 golos.
.
(Fonseca no CS Maritimo na temporada de 1997/98)
.
Ingressou no Vitoria SC na temporada de 1998/99 reforçando o centro da defesa vimaranenses que já contava com jogadores da craveira dos brasileiros Arley, Márcio Theodoro e Alexandre. O técnico do Vitoria de Guimarães era Zoran Filipovic que não seria nada feliz na cidade berço, acabando por ser substituído no cargo por Quinito após uma série de maus resultados.
.
A chegada de Fonseca ao Vitoria SC é acompanhada da vinda do médio Costa, também do FC Porto, envolvidos num negócio da transferência de Capucho para as Antas no ano anterior.
.
(Vitoria SC 1998/99)
.
Fonseca era um defesa central de elevada estatura que o beneficiava no jogo aéreo desse predicado. Essencialmente era um defesa de marcação disputando cada lance com intensidade. Era porem um tanto ou quanto lento na movimentação o que lhe valia alguns dissabores quando encontrava avançados rápidos.

Em Guimarães, não foi todo feliz. A concorrência era muita e toda ela de inegável qualidade. Alem disso, como acima dissemos, Fonseca foi fatalmente perseguido por graves lesões que o impediam de dar o contributo à equipa do Vitoria SC.
.
Na primeira época em Guimarães apenas alinhou em 4 encontros oficias do Campeonato Nacional da 1ª Divisão, o mesmo sucedendo na temporada seguinte em que realizou o mesmo número de jogos, sem apontar qualquer golo oficial ao serviço do Vitoria SC.
.
(Vitoria SC 1999/00)
.
Índices tão reduzidos levaram o clube vimaranense a colocar Fonseca na lista de dispensados no início da época de 2000/01 altura em que o brasileiro Paulo Autuori assumiu a condução técnica do Vitoria SC. Rescindiu o contrato que o ligava ao Vitoria SC por mais duas temporadas e procurou um clube onde pudesse continuar a sua carreira de futebolista de preferência com mais aproveitamento.
.
É nesse medida que ingressa no CF Estrela da Amadora na temporada de 2000/01. Será neste clube que Fonseca irá terminar a sua carreira de jogador profissional de futebol e abraçar a carreira de treinador.
.
(CF Estrela da Amadora 2000/01)
.
Na primeira época no CF Estrela da Amadora, que militava na 1ª Liga Nacional, Fonseca continuou a ser utilizado muito esporadicamente pois apenas contabilizou 10 encontros oficiais realizados naquela competição. Como na época de 2000/01 a formação do CF Estrela da Amadora desceu à 2ª Liga, as temporadas de 2001/02 e 2002/03 foram passada naquela escalão ao serviço dos amadorenses.
.
(Fonseca com a camisola do CF Estrela da Amadora)
.
(CF Estrela da Amadora 2001/02)
.
Fonseca foi pedra fundamental no sucesso da equipa da Amadora no ano do regresso à 1ª Liga em 2002/03. Participou assim pela ultima vez na sua carreira no Campeonato da 1ª Liga na época de 2003/04 ao serviço do CF Estrela da Amadora, que acabou novamente relegado ao segundo escalão, e onde Fonseca participou em 15 encontros sem apontar qualquer golo ao longo da temporada.
.
(CF Estrela da Amadora 2003/04)
.
(No CF Estrela da Amadora em 2003/04)
.
(CF Estrela da Amadora 2003/04)
.
(No CF Estrela da Amadora na época de 2003/04)
.
(CF Estrela da Amadora 2003/04)
.
O seu último ano como jogador profissional de futebol foi a época de 2004/05, ainda no CF Estrela da Amadora a disputar a 2ª Liga Nacional. Apenas alinhou em 5 encontros oficias daquela competição e no final da época, com 32 anos de idade, decidiu abandonar a carreira de jogador.
.
Abraçou imediatamente o cargo de treinador na equipa de juniores do CF Estrela da Amadora nas temporadas de 2005/06 e 2006/07. Presentemente, é o treinador principal da SU 1ª de Dezembro, do concelho de Sintra, que se encontra a disputar a Série F da 3ª Divisão Nacional.


Autor: Alberto de Castro Abreu

Lembro-me do golo do Fonseca na Luz como se fosse hoje.
Cruzamento de Rui Esteves e cabeceamento de Fonseca para o fundo das redes.
Curioso porque é a única memória que tenho deste jogador no Belenenses.
 
Neste blogue das glorias do vitoria faltam nomes como nandinho,riva,edmilson,evaldo entre outros mais que fizeram historia e honraram a camisola deste grande clube vsc
 
Meu caro Anónimo:

Tem toda a razão, mas além desses nomes faltam ainda muitos outras grandes glórias do Vitoria SC, todavia, apenas se pode recordar um de cada vez.

Saudações Vitorianas,

Alberto de Castro Abreu
 
A sua primeira inscrição como federado foi no Galitos? Em que ano e em que escalão?
 
Publicar um comentário



<< Home
Site Meter